Características Físicas

Tamanho da letra:

A região das bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí apresenta quatro grandes domínios quanto aos aspectos geológicos (o embasamento cristalino, as rochas sedimentares, as rochas efusivas e as coberturas sedimentares):

  • Embasamento cristalino, constituído por rochas metamórficas e graníticas, ocorre principalmente na porção leste da bacia.
  • As rochas sedimentares mesozóicas e paleozóicas, integrantes do segundo domínio geológico, ocorrem em grandes extensões ao longo de uma faixa norte/sul que acompanha as rochas do embasamento, na região de Piracicaba.
  • As rochas efusivas, que aparecem sob a forma de derrames basálticos, são observadas em grande parte dos municípios, mais intensamente em Paulínia, Sumaré e Hortolândia.
  • As coberturas sedimentares, integrantes do quarto domínio, compreendem os depósitos aluvionares e coluvionares dos cursos de água e os solos residuais resultantes de desintegração de rochas. Quanto à geomorfologia, a área pode ser caracterizada por três zonas: Planalto Atlântico, Depressão Periférica e Cuestas Basálticas.
  • O Planalto Atlântico, encontrado na parte leste caracterizada pelo embasamento cristalino, é constituído por relevo montanhoso, com morros, alcançando altitudes superiores a 1.200m, e vales, chegando a cotas altimétricas entre 750 e 850m.
  • A Depressão Periférica, que apresenta topografia colinosa, localiza-se em uma faixa de aproximadamente 50 km na parte central da região.
  • As Cuestas Basálticas, constituídas por relevo escarpado desenvolvido sobre rochas basálticas, encontram-se na parte nordeste das bacias PCJ.
  • Os principais cursos de água da área apresentam, basicamente, escoamentos no sentido leste/oeste.
  • A bacia do rio Piracicaba possui um desnível topográfico acentuado, chegando a 1.400m ao longo de uma extensão de 250 km – ou desde suas cabeceiras na serra da Mantiqueira, quando alcança uma altitude média de 1900 m, até sua foz, no rio Tietê.
  • O desnível topográfico da bacia do Capivari é bem menor, não ultrapassando 250 m em um percurso de 180 km, desde as suas nascentes na Serra do Jardim, com altitude de 750 m.
  • Na bacia do rio Jundiaí, o desnível também é pequeno, porém um pouco maior do que o anterior: da ordem de 500 m, em uma distância de 125 km que se estende desde as suas nascentes a 1.000 m de altitude na Serra da Pedra Vermelha, em Mairiporã, até sua confluência com o rio Tietê, no Município de Salto.